Saúde e bem-estar
25
Jan

VOCÊ SABE O QUE AFETA A FERTILIDADE DO HOMEM?

Avalie este item
(0 votos)
  1. DST

Doenças sexualmente transmissíveis, como a clamídia e a gonorreia, causadas por bactérias, atrapalham o sonho de ser pai e mãe. Nos homens, desencadeiam inflamação nos testículos e no epidídimo, uma estrutura sobre o par de glândulas masculinas. Com isso, travam a passagem dos espermatozóides.

  1. Peso

A cintura saliente aumenta a temperatura dos testículos, prejudicando a qualidade do sêmen. Adotar uma dieta saudável, rica em frutas e verduras, e a prática regular de atividade física são as primeiras atitudes para ampliar a família.

  1. Telefone no bolso

Cientistas da Universidade de Exeter, na Inglaterra, constataram que, ao travar contato diário com a radiação do celular, a proporção de gametas masculinos normais caía 8%. “A radiação parece causar estragos no DNA dessas células”, conta Fiona Mathews, líder do trabalho, que ainda demanda estudos prospectivos maiores para confirmar a ligação.

  1. Produtos químicos

Detergente, sabão, sacos plásticos… De acordo com o Centro Europeu de Estudos Avançados, substâncias presentes nesses itens fomentam a infertilidade. Tudo porque a mistura de ingredientes químicos bagunçaria os hormônios que regulam a fabricação de espermatozóides. “Só que ainda não conhecemos muito bem quais os elementos capazes de comprometer a produção”, diz o urologista Sidney Glina, do Hospital Ipiranga, em São Paulo.

  1. Idade

Até alguns anos atrás se acreditava que o homem mantinha sua capacidade de gerar descendentes intactas a vida toda. Mas não é bem assim: a partir dos 50 anos, a qualidade e a quantidade dos espermatozóides começam a decair.

  1. Anabolizantes

Substâncias à base de testosterona, usados por quem quer ganhar músculos ou aumentar a virilidade, têm, sim, repercussões negativas sobre a capacidade fértil. “O indivíduo pode sofrer uma redução no número de espermatozóides e até ficar estéril”, alerta o urologista Reginaldo Martello, chefe do Departamento de Reprodução Humana da Sociedade Brasileira de Urologia.

  1. Fumo, álcool e cia.

Os efeitos maléficos do cigarro aos órgãos sexuais já estão bem documentados. “Diversos componentes químicos prejudiciais, como o cádmio, se depositam nos testículos e não saem mais”, explica Renato Fraietta, professor de reprodução humana da Universidade Federal de São Paulo. O fumo ainda agride os vasos sanguíneos – finos e frágeis, eles sabotam o aporte de oxigênio e nutrientes ao saco escrotal. Pesquisas também depõem contra o álcool, a maconha e a cocaína.

  1. Trauma

O homem que já levou uma bolada na região dos genitais sabe bem que a dor é intensa e demora para ir embora. Mas traumas leves  não têm repercussão na linha de produção dos gametas. Só se a colisão for muito intensa, há risco de ocorrer uma ruptura dos tecidos que recobrem os testículos. Então, caso o incômodo e o inchaço não passem logo, o melhor é ir direto ao pronto-socorro.

  1. Ausência de espermatozoide

Em uma condição chamada azoospermia, o sêmen não apresenta nenhum espermatozóide. Isso acontece por duas razões: a primeira por obstrução, ou seja, os testículos até criaram as células sexuais, mas elas não chegam ao seu destino – aliás, a vasectomia, cirurgia de esterilização que fecha os tubos que levam o líquido dos testículos até o pênis, bloqueia justamente esse caminho. Um procedimento de desobstrução costuma reverter o quadro. Na segunda categoria da azoospermia, a escassez é fruto de defeitos em algumas etapas da fabricação  das células reprodutivas – resultado de síndromes genéticas ou decorrente de radioterapia para debelar um câncer. O tratamento, muito mais complexo, vai variar de acordo com o caso.

  1. Varizes bem lá...

Uma das grandes vilãs da fertilidade masculina é a varicocele, conjunto de varizes que pode se formar no saco escrotal. O defeito em válvulas que deveriam drenar o sangue acarreta um aumento no calibre de algumas veias ali. O líquido vermelho fica represado e isso eleva a temperatura da bolsa que guarda os testículos. O calor excessivo e outras eventuais alterações interferem na produção dos espermatozóides. Para corrigir, recorre-se a uma cirurgia relativamente simples. O importante mesmo é detectar o problema o quanto antes, uma vez que a varicocele costuma aparecer na adolescência.

Fonte: saude.abril.com.br                 

Lembrando que é fundamental que o homem, assim como todo individuo que quer ter uma vida longa e saudável, procure um médico e realize exames preventivos pelo menos uma vez ao ano, para garantir que a saúde esteja em dia.

Assim como praticar atividades físicas regularmente aliada à uma alimentação saudável. Não tem segredo, essa é aquela famosa receita para se ter uma vida com mais saúde.