Notícias

Todo mundo passa por períodos de stress, tristeza, luto e conflito, então quando você não se sente muito bem pode ser difícil saber se é hora de procurar um profissional para lidar com o problema.

Os psicólogos atribuem a baixa procura por ajuda médica ao estigma e aos mitos ligados à terapia: a ideia de que seja algo para gente louca, que a ajuda de um profissional seja um sinal de fraqueza ou tome tempo e custe caro demais.

Um tratamento não precisa envolver análise quatro vezes por semana; muitos pacientes fazem apenas duas sessões por semana, ou a terapia comportamental durante um ano. As pessoas acham que vão se tornar prisioneiras do tratamento, mas isso simplesmente não é verdade. Existe um estigma injustificado ligado às doenças mentais, e olhe que nem estamos falando de uma doença mental, estamos falando apenas da vida e das dificuldades dela. Os benefícios da psicoterapia [podem ser vistos] mais como formas de aliviar o estresse, como exercícios físicos ou uma alimentação correta – estratégias que podem ajudar no dia-a-dia e ajudar a aliviar tensões.

Então quais são os sinais de que pode ser a hora de marcar uma consulta? Confira quais são os 8 sinais de que você precisa fazer a terapia!

1- Todas as suas emoções são intensas

Todo mundo fica nervoso e triste, mas e a intensidade? E a frequência? Isso te atrapalha ou prejudica a sua vida?

A sensação de ser regularmente dominado pela tristeza ou pela raiva pode indicar algo mais profundo, mas é preciso prestar atenção a uma outra coisa: o catastrofismo. Quando um desafio aparece de repente, você imediatamente se prepara para o pior? Esse tipo de ansiedade extrema, em que as preocupações são desproporcionais e os cenários pessimistas passam a se tornar cenários realistas, pode ser profundamente debilitante.

2- Você passou por um trauma e não consegue parar de pensar no assunto

A dor de uma morte na família, uma separação ou a perda do emprego podem ser suficientes para exigir algum tipo de aconselhamento. A tendência é achar que esse tipo de sensação vai embora sozinha, lembrando que nem sempre este é o caso. O luto pode nos atrapalhar no dia a dia e nos afastar dos amigos. Se você perceber que está se distanciando, ou se seus amigos notarem o mesmo, talvez seja a hora de procurar alguém para tentar entender como o evento ainda está te afetando. Por outro lado, algumas pessoas reagem às perdas com uma reação mais maníaca - buscam os amigos incessantemente e têm problemas para dormir. Estes também são sinais de alerta.

3- Você tem dores de cabeça recorrentes e inexplicáveis, dores de estômago ou baixa resistência

Se estamos emocionalmente abalados, o corpo pode ser afetado. Pesquisas confirmam que o estresse pode se manifestar de diversas formas, de problemas estomacais crônicos a dores de cabeças, resfriados e redução do apetite sexual. Há também outros indícios menos frequentes, como dores musculares repentinas (ou seja, não aquelas que aparecem depois da academia) ou dores no pescoço.

4- Você está usando alguma substância para aguentar o dia a dia

Se você percebe que está bebendo ou usando drogas em maiores quantidades ou com maior frequência - ou até mesmo pensando mais em bebidas ou drogas -, pode ser um sinal de que você queira anestesiar algum tipo de sensação. Mas essa substância pode não ser o álcool ou droga: pode ser comida. Nota-se que mudanças no apetite podem ser um sinal de que nem tudo está bem. Comer demais, ou de menos, pode indicar estresse ou sinalizar que você não está querendo cuidar de si mesmo.

5- Você não está rendendo no trabalho

Mudanças na performance no trabalho são comuns entre aqueles que enfrentam questões emocionais ou psicológicas. Você pode se sentir desconectado do trabalho mesmo que antes gostasse do que faz. Além de afetar a concentração e a atenção, você pode começar a receber críticas dos seus chefes ou colegas. Pode ser um sinal de que é hora de buscar um profissional. Adultos passam a maior parte do tempo no trabalho, então as pessoas que reparam são aquelas que têm de compensar, como em uma família.

6- Você se sente desconectado daquilo que gostava de fazer

Se seus clubes, encontros de amigos e família estão perdendo a graça, pode ser um sintoma de que algo está errado. Se você está desiludido, achando que nada faz sentido, buscar terapia pode ajudar a clarear o ar ou procurar uma nova direção.

7- Seus relacionamentos estão desgastados

Você tem dificuldades para explicar como realmente está se sentindo – ou mesmo para identificar suas emoções? Se você se sente infeliz durante as interações com aqueles que ama pode ser um candidato para uma terapia de casal ou de família. Podemos ajudar as pessoas a escolher melhor as palavras – e ensinamos que não é só o que você está dizendo que importa, mas também sua linguagem corporal e sua atitude.

8- Seus amigos dizem que estão preocupados com você

Amigos podem perceber padrões que não conseguimos identificar nós mesmos, portanto é importante considerar a perspectiva daqueles que estão à sua volta. Se alguém que faz parte da sua vida diz algo como: ''Você falou com alguém sobre isso?'' ou ''Você está bem? Estou preocupado com você''– é um sinal de que você provavelmente deveria ouvir o conselho.

E ai, chegou a conclusão de que precisa mesmo de uma terapia? Não se preocupe, ainda há tempo. Buscar ajuda médica é sempre a melhor opção!

Consulte nosso guia médico e saiba mais sobre os profissionais da área credenciados ao Plamhuv!

A acupuntura é uma terapia milenar originária da China, que consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo para tratar doenças e para promover saúde. Estas agulhas, quando aplicadas sobre algumas regiões específicas são capazes de tratar diversas doenças físicas ou emocionais como sinusite, asma, enxaqueca ou artrite por exemplo, além de melhorar o sistema imunitário.

A inserção das agulhas de Acupuntura estimula as terminações nervosas existentes na pele e nos outros tecidos, enviando desta forma mensagens até ao cérebro, o que desencadeia diferentes efeitos no corpo, como ação analgésica ou anti-inflamatória, por exemplo. Existem diversas comprovações científicas de que a acupuntura funciona mesmo, porém no Brasil ela só deve ser utilizada como forma para complementar o tratamento clínico orientado pelo médico.

Para que serve

A acupuntura é uma técnica que pode ser usada para reforçar o sistema imunológico e para o tratamento de problemas e doenças como por exemplo:

  • Problemas na boca como dor após extração de dente, gengivite ou faringite;
  • Doenças respiratórias como sinusite, rinite, resfriado comum, asma ou bronquite;
  • Doenças oftalmológicas como conjuntivite, catarata ou miopia em crianças;
  • Problemas neurológicos como dor de cabeça ou enxaqueca;
  • Problemas gastrointestinais como excesso de acidez no estômago, úlcera duodenal, prisão de ventre ou diarreia;
  • Problemas ortopédicos como dor ciática, lombalgia ou artrite reumatoide;
  • Distúrbios de sono como insônia.

Além destes problemas, a acupuntura pode também ser utilizada no tratamento de doenças e distúrbios emocionais como ansiedade, excesso de estresse ou depressão, por exemplo. 

Qualquer pessoa pode fazer acupuntura, mesmo nos casos onde não existe doença ou queixas físicas, e esta técnica pode inclusive ser feita em crianças, sendo nestes casos recomendada a utilização de laser em crianças com medo de agulhas.

As agulhas podem transmitir doenças?

A acupuntura deve ser feita com agulhas descartáveis, pois a sua reutilização aumenta as chances de contrair algumas doenças como hepatite ou meningite, por exemplo.

Por isso, quando for realizar um procedimento de acupuntura deve assegurar de que esta é feita por um profissional competente, e que segue as normas da Anvisa que obriga à utilização de material descartável.

Tipos de Acupuntura

Existem diversos tipos de acupuntura, e cada uma apresenta uma função diferente:

1. Acupuntura auricular

A acupuntura auricular, também conhecida como auriculoterapia, pode ser usada para tratar dores, doenças físicas ou emocionais e pode ser realizada com ou sem agulhas. Esta técnica é feita nas orelhas, e quando não são utilizadas agulhas, podem ser usadas sementes de mostarda ou outras pequenas esferas que são colocadas em determinados pontos da orelha.

2. Acupuntura estética

No caso da acupuntura estética, esta técnica visa a aplicação de agulhas em determinados pontos do corpo para melhorar a circulação sanguínea, promover o crescimento das células de sustentação, combater a gordura localizada e ajudar a drenar os líquidos em excesso.

3. Acupuntura para emagrecer

Quando a acupuntura é usada para emagrecer, ela ajuda na eliminação de toxinas, líquidos em excesso e gorduras localizadas. Além disso, como o excesso de peso pode estar associado a problemas psicológicos como ansiedade ou depressão, esta técnica também pode ser usada no tratamento destes problemas, de forma a que a alimentação deixe de ser um refúgio emocional.

Quem pode realizar tratamentos?

Qualquer pessoa pode fazer acupuntura, estando doente ou não. Ela é indicada inclusive para crianças, mas no caso delas a acupuntura pode ser feita com laser, para que a criança não tenha medo das agulhas. Além disso, a acupuntura também pode ser benéfica durante a gravidez, pois ajuda na diminuição das variações hormonais, que são frequentes durante este período e alivia as dores nas costas e o desconforto causado pelo peso da barriga. Conheça os benefícios da acupuntura durante este período em Acupuntura na Gravidez

Animais como cães ou gatos também podem ser tratados com acupuntura, pois ela alivia dores, alergias, infecções nas vias respiratórias, problemas digestivos ou outras doenças, como rinite, por exemplo. 

Além da acupuntura, existem outras técnicas da medicina alternativa como a Acupressão, que tratam problemas e aliviam a dor. 

Gostou? Então consulte em nosso Guia Médico a especialidade Acupuntura e confira os profissionais indicados para este tipo de tratamento! 

PLAMHUV - Saúde é o mais importante
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

Caminhar faz bem, é um exercício de baixo impacto e que melhora o humor, inclusive há registros de alívio da depressão. Além disso, estudos têm mostrado que nos países em que a caminhar é comum, os índices de obesidade são menores do que nos que as pessoas dependem de carros para se locomover. Ou seja, andar pode te deixar mais feliz e saudável.

Confira quais são as formas certas de caminhar e descubra se você realmente sabe fazer uma boa caminhada:

1 - Mantenha a coluna reta e a postura ereta quando estiver caminhando. Mantenha a cabeça levantada e o seu queixo levantado também.

2 - Use suas panturrilhas, tendões isquiotibiais e quadríceps para andar de forma eficiente. Quando estiver andando, visualize que está empurrando com o pé de trás, usando os tendões isquiotibiais e quadríceps e se impulsionando para frente sobre o calcanhar de seu outro pé.

3- Mantenha os ombros para trás, mas relaxados, abrindo o peito. Mesmo que a maioria dos músculos usados esteja nas pernas e parte central do corpo, preste atenção na postura da parte superior do seu corpo.

4- Movimente os braços enquanto estiver caminhando, deixe-os naturalmente relaxados ao seu lado.

5- Comece em um ritmo de aquecimento mais lento. Nos primeiros minutos de sua caminhada, mantenha um ritmo confortável enquanto seu corpo se aquece. Supondo que 100% represente o mais rápido que você consegue andar sem começar a correr, tente começar em um nível de 50 a 60% desse esforço máximo. Como regra geral, você deve ser capaz de falar normalmente e manter uma conversa sem perder o fôlego durante o aquecimento.

6- Aumente a velocidade de caminhada para moderada após o aquecimento. Quando você se sentir confortável, entre no ritmo de cerca de 70 a 80% de sua velocidade máxima. Na intensidade moderada, você deve, eventualmente, começar a respirar com dificuldade, mas não ofegar. Você ainda deve ser capaz de manter uma conversa, mas não necessariamente conseguir fazer isso com extrema facilidade.

Para melhorar sua saúde cardiovascular, faça aquecimento e mantenha esse ritmo por pelo menos 30 minutos cinco vezes por semana. Estudos têm demonstrado que quebrar essa sessão de 30 minutos em várias etapas ao longo do dia é igualmente eficaz, contanto que a pessoa passe essa quantidade de tempo caminhando no total.

7- Relaxe no final da caminhada. Depois de ter caminhado mais rápido durante 30 minutos (ou mais), diminua para voltar à velocidade de aquecimento. Passe de 5 a 15 minutos caminhando nesse ritmo mais lento. Uma sessão de relaxamento no final de uma caminhada de alta intensidade permite o retorno gradual, e não abrupto, a sua frequência cardíaca de repouso. Além disso, a sensação é ótima.

8 - Use tênis confortáveis e roupas adequadas para a caminhada. Se você for começar um programa de exercícios de caminhada diária, considere compre um par de tênis confortável próprio para isso, se você ainda não tiver. Eles podem fazer maravilhas pelo seu desempenho, melhorando sua passada e permitindo que você ande por mais tempo confortavelmente. Escolha um modelo que proporcione boa estabilidade para ajudar a manter seus pés em linha reta e que tenha amortecimento para proteger o calcanhar quando você pisa e suporte para o tornozelo para evitar lesões. Quanto as roupas, geralmente uma camiseta de algodão simples pode ajudar a manter o conforto absorvendo o suor. As calças não podem atrapalhar suas passadas também. 

9- Escolha um percurso com o nível de dificuldade que você deseja. Onde você caminha pode ter tanto efeito sobre os benefícios gerados pelo exercício quanto a sua velocidade. No início pode ser interessante escolher um terreno mais plano, mas quando sua confiança aumentar você pode se desafiar e escolher trilhas mais difíceis ou mais longas.

10- Comece a caminhar como uma forma de lazer. Como mencionado acima, é inteligente caminhar para chegar onde precisa, mas você não precisa de um motivo para andar, apenas faça isso quando sentir vontade.

E ai? Bora caminhar agora?

PLAMHUV - Saúde é o mais importante
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

MENOPAUSA

Menopausa é o período fisiológico após a última menstruação espontânea da mulher. Nesse espaço de tempo estão sendo encerrados os ciclos menstruais e ovulatórios. O início da menopausa só pode ser considerado após um ano do último fluxo menstrual, uma vez que, durante esse intervalo, a mulher ainda pode, ocasionalmente, menstruar.

Esse tempo de transição que antecede a menopausa é chamado de climatério. Ele representa a passagem da fase reprodutiva da mulher para a não reprodutiva. O organismo deixa de produzir, de forma lenta e gradativa, os hormônios estrogênio e progesterona.

A menopausa é mais um estágio na vida da mulher. Nesse período ocorrem transformações no organismo feminino, que aumentam a possibilidade de aparecimento e agravamento de doenças.

Não há uma idade exata para a menopausa: ela varia de mulher para mulher. Em média, ocorre entre os 45 e 55 anos. Pode acontecer antes dessa fase, de forma espontânea ou cirúrgica – a chamada menopausa precoce. A menopausa cirúrgica ocorre após a retirada dos ovários ou do útero. Quando aparece após os 55 anos, é intitulada menopausa tardia.

SINTOMAS

Apesar de não haver uma data pré-estabelecida para o início do climatério (período de transição para a menopausa), algumas mudanças no corpo feminino indicam a chegada da menopausa. A intensidade ou a duração do fluxo menstrual modifica-se, tende a ficar mais espaçada, até parar.

Durante o climatério, é comum as mulheres sentirem outros sintomas físicos e comportamentais. Os principais sintomas da menopausa são:

  • Ausência da menstruação;
  • Ressecamento vaginal (secura);
  • Ondas de calor;
  • Suores noturnos;
  • Insônia;
  • Diminuição no desejo sexual;
  • Diminuição da atenção e memória;
  • Perda de massa óssea (osteoporose);
  • Aumento do risco cardiovascular;
  • Alterações na distribuição da gordura corporal;
  • Depressão.

Nessa fase, é ideal que a mulher faça consulta regulares com outros profissionais além do ginecologista habitual, especialmente com o cardiologista e, se necessário, o psicólogo. Devido à redução do metabolismo ocasionado pela idade, pode haver ganho de peso, aumento do nível do colesterol e, consequentemente, da Pressão Arterial. Para evitar esses sintomas, recomenda-se a visita ao cardiologista uma vez por ano, para que assim o profissional possa orientar exercícios físicos adequados. Em casos de baixa autoestima e depressão, o psicólogo é o profissional que dará o suporte necessário para a superação dessa fase repleta de desafios.

DIAGNÓSTICOS

Não há uma data certa para a menopausa ocorrer, no entanto há um indicativo para saber se a mulher está no climatério. O principal sintoma é a escassez da menstruação.

Ir regularmente ao médico é importante para confirmar se, de fato, a mulher entrou na menopausa. Em algumas mulheres, a menstruação vai se espaçando com um intervalo cada vez maior, até parar. Em outras, cessa de uma vez. “Só se saberá que é a última depois de um ano sem nenhum sangramento. Então se confirma que a mulher não pode mais ficar grávida”, declara o ginecologista e psicólogo Jorge José Serapião, professor do Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Se a mulher toma pílula, pondera ele, o diagnóstico é mais difícil. Serapião avisa que “a pílula cria um ciclo artificial. Em determinada idade, se surgirem contraindicações ao seu uso, pode haver a necessidade de troca por dispositivos intrauterino (DIU) ou algum método definitivo, como ligadura de trompas”, explica o ginecologista e psicólogo.

Alguns tipos de DIU com progesterona também dificultam o diagnóstico, porque suspendem artificialmente a menstruação. “Se a mulher quiser ter certeza de que está na menopausa, não existirá a necessidade de retirar o DIU. Podem ser realizadas as dosagens hormonais, como as do FSH e LH, na faixa próxima a dos 50 anos”, comenta Serapião.

EXAMES

Durante o climatério, a consulta com o ginecologista deve continuar regularmente. O ginecologista e psicólogo Jorge José Serapião, professor do Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica que a visita ao médico e o exame clínico nessa nova etapa continuam sendo importantes. “De modo geral, as mulheres tendem a diminuir as visitas ao médico, mas o ideal seria que a frequência de uma vez ao ano não fosse alterada.”

Para detectar o início da menopausa, o exame clínico, em certos casos, é mais preciso, assim como o exame manual das mamas em relação à mamografia. É também através dos relatos da mulher ao seu médico que é possível analisar as variações na concentração dos hormônios, como progesterona, estrogênio e FSH.

De acordo com os eventuais sintomas, o médico poderá solicitar exames complementares. Caso suspeite de anemia, o especialista poderá solicitar um hemograma. Os exames mais solicitados são a mamografia, a ultrassonografia e o papanicolau. Para ajudar na detecção precoce de doenças, o ginecologista pode pedir ultrassom transvaginal e exames de sangue.

TRATAMENTOS E CUIDADOS

O método mais eficaz de tratar a menopausa é a terapia de reposição hormonal. Ela traz de volta ao organismo os hormônios estrogênio e progesterona, de modo a amenizar e/ou reverter os sintomas da menopausa, tais como ondas de calor, depressão, ressecamento vaginal, falta de libido, entre outros.

O tratamento é realizado por meio de comprimidos, adesivos ou géis que repõem o estrogênio. Os medicamentos mais recomendados são comprimidos para consumo diário, que contêm progesterona e hormônio esteroide feminino para proteger o útero.

Outro método utilizado é o uso da pílula anticoncepcional, no qual a mulher toma por três semanas e faz um intervalo de sete dias. A grande diferença entre a “pílula” e o comprimido de terapia hormonal é a concentração de hormônios, isso porque no tratamento hormonal é usado o estrogênio natural em doses mínimas, apenas o suficiente para que a mulher se sinta bem. Já a pílula possui estrogênio sintético e seu objetivo maior é evitar a gravidez.

O tratamento hormonal pode ser realizado por meio de medicamentos com progesterona e hormônio esteroide, apenas com estrogênio, ou, em alguns casos, com hormônio masculino – a testosterona. Há também os tratamentos não hormonais que procuram amenizar os sintomas sem repor os hormônios em queda. Alguns desses tratamentos usam inibidores de receptação de serotonina, clonidina, cinarizina. Ainda há tratamento sem medicação, como acupuntura, relaxamento, etc.

O tratamento para a menopausa varia de acordo com o perfil de cada paciente. É necessário primeiramente analisar as condições físicas, como a Pressão Arterial, para então escolher o tratamento adequado para cada mulher. Os primeiros resultados da reposição hormonal aparecem, geralmente, após um mês do início do tratamento.

-

PLAMHUV - Saúde é o mais importante
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

A aula de zumba mistura ginástica aeróbica e dança latina, o que ajuda a emagrecer e tonificar os músculos, podendo ser praticada por pessoas de todas as idades. Durante 1 hora de aula, é possível queimar cerca de 800 calorias, e quando aliada a uma dieta balanceada favorece uma rápida perda de peso.

Como o zumba tem um ritmo intenso, o ideal é começar aos poucos e parar a aula em caso de presença de dores musculares ou falta de ar intensa, sendo também importante fazer intervalos de 1 dia de descanso entre os treinos, pois é durante este período que o músculo cresce e se tonifica.

Benefícios do Zumba

O zumba é o exercício completo que trabalha o corpo todo, estimulando os músculos dos braços, abdômen, costas, glúteos e pernas, e trazendo os seguintes benefícios para a saúde:

  1. Acelerar o metabolismo e emagrecer, pois trabalha exercícios aeróbicos que aceleram os batimentos cardíacos, o que aumenta a queima de gordura;
  2. Combater a retensão de líquidos, por melhorar a circulação sanguínea;
  3. Fortalecer o coração, porque o ritmo acelerado aumenta a resistência a esse órgão;
  4. Aliviar o estresse, pois as aulas são feitas em equipe e com músicas animadas, que liberam o estresse e aumentam o ânimo;
  5. Melhorar a coordenação motora, pois os movimentos ritmados ajudam a dominar o corpo e coordenar os movimentos;
  6. Melhorar o equilíbrio, devido aos movimentos que incluem saltos, giros e troca de passos constante;
  7. Aumentar a flexibilidade, pois também inclui exercícios de alongar os músculos.

Assim, essa atividade é aconselhada principalmente para tonificar os músculos e perder peso, sendo importante lembrar que não substitui a musculação para pessoas que desejam aumentar a força e a massa muscular.

É importante lembrar que antes de iniciar qualquer atividade física o ideal é consulta um educador físico para fazer uma avaliação corporal e receber orientações sobre a forma correta de praticar os exercícios.

Faça parte da Geração Saúde e venha se exercitar também!

PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

Estas 7 dicas de saúde para o verão ajudam a aumentar a saúde e o bem-estar, aproveitando todos os benefícios dessa época do ano, que incluem férias, praia, piscina e carnaval. Abaixo confira algumas dicas de saúde importantes: 

  1. Beber água ou líquidos não açucarados, cerca de 2 a 3 litros de água durante o dia para não desidratar;
  2. Evitar exposição solar direta nas horas de muito calor, entre as 10 e as 15 horas;
  3. Passar protetor solar 15 minutos antes de sair de casa e repassar de 2 em 2 horas, principalmente se for à praia;
  4. Usar chapéu ou boné quando estiver ao sol, mesmo ao caminhar na rua normalmente e usar roupas leves  e claras que absorvam menos o calor;
  5. Comer frutas, verduras e legumes crus ricos em água como alface, chuchu, pepino, rabanete, nabo, tomate, couve-flor, melancia, melão, abacaxi, maçã, cenoura, banana, goiaba e clara de ovo;
  6. Evitar beber bebidas alcoólicas e refrescos açucarados, pois o álcool aumenta a perda de água pelo corpo;
  7. Evitar permanecer em locais fechados e sem ventilação.

O ar condicionado pode ser um problema no verão pois aumenta a presença de bactérias, vírus ou ácaros no ar e retira umidade do ar, agravando as alergias. Por isso, deve-se limpar os filtros do ar condicionado com frequência, usar um vaporizador, ou colocar uma panela, ou balde com água, para umidificar o ar evitando assim problemas respiratórios. Adotar estes cuidados é importante para evitar a desidratação e doenças como rinite, bronquite e asma, assim como a brotoeja, porque estas doenças são muito comuns no verão devido o aumento do suor, baixa umidade do ar e proliferação de micro-organismos. Passar repelente no corpo é outra dica para o verão, porque há mais mosquitos e na fase das chuvas pode ocorrer epidemia de dengue. Plantar citronela no jardim e usar velas repelente com óleos e essências de citronela é uma ótima forma de passar as noites de verão de forma agradável e segura.

 As mesas das ceias e das festas são sempre bem servidas e com fartura, mas escondem vilões, como excesso de sal, gordura (com destaque para a saturada), e açúcar. Não é preciso abdicar do prazer de comemorar com brindes e boa alimentação, mas convém ter cautela e não exagerar. Por isso, alguns Nutricionistas da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo dão dicas preciosas para os banquetes de fim de ano não atrapalharem o seu bem-estar:

PREFIRA

Palitos de salsão e erva doce
Espumante e água com gás
Peru ou chester assado
Cuscuz marroquino
Salada mista com lascas de frutas secas
Temperos com vinagre balsâmico ou mostarda
Sorvete de massa

CONTROLE

Amendoim japonês e batata frita
Caipirinha e batidas
Pernil de porco assado
Farofa de linguiça e bacon
Maionese de legumes com batata
Temperos prontos e cremosos
Sorbet de frutas

 Há mais algumas recomendações básicas:

Não fique em jejum, mantendo um cardápio diário saudável e comendo em intervalos regulares de três em três horas.
Aumente o consumo de verduras e legumes como brócolis, couve-flor, couve, repolho, brotos e folhas de mostarda, que estimulam enzimas no fígado responsáveis pela eliminação de toxinas de maneira mais rápida.
Consuma verduras amargas, como o agrião e a rúcula, que ativam o funcionamento do fígado e da vesícula biliar e auxiliam na digestão e na eliminação de toxinas.
Coma frutas, que nutrem o organismo e dão saciedade.
Enriqueça a alimentação com alimentos termogênicos, que aceleram o metabolismo, como gengibre, canela, chá verde e pimenta vermelha.
Eleve a hidratação, consumindo pelo menos 10 copos de água por dia nos intervalos das refeições, além de consumir alimentos ricos em potássio, como banana, mamão, ameixa, melão, frutas secas, que ajudam a controlar a retenção de líquido (inchaço).
Priorize a ingestão de carnes magras, como peixes e frango sem pele, dando preferência às formas de preparo grelhada, assada e cozida.

Mais lidas

Filtro por data

« Janeiro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31