Notícias

 As mesas das ceias e das festas são sempre bem servidas e com fartura, mas escondem vilões, como excesso de sal, gordura (com destaque para a saturada), e açúcar. Não é preciso abdicar do prazer de comemorar com brindes e boa alimentação, mas convém ter cautela e não exagerar. Por isso, alguns Nutricionistas da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo dão dicas preciosas para os banquetes de fim de ano não atrapalharem o seu bem-estar:

PREFIRA

Palitos de salsão e erva doce
Espumante e água com gás
Peru ou chester assado
Cuscuz marroquino
Salada mista com lascas de frutas secas
Temperos com vinagre balsâmico ou mostarda
Sorvete de massa

CONTROLE

Amendoim japonês e batata frita
Caipirinha e batidas
Pernil de porco assado
Farofa de linguiça e bacon
Maionese de legumes com batata
Temperos prontos e cremosos
Sorbet de frutas

 Há mais algumas recomendações básicas:

Não fique em jejum, mantendo um cardápio diário saudável e comendo em intervalos regulares de três em três horas.
Aumente o consumo de verduras e legumes como brócolis, couve-flor, couve, repolho, brotos e folhas de mostarda, que estimulam enzimas no fígado responsáveis pela eliminação de toxinas de maneira mais rápida.
Consuma verduras amargas, como o agrião e a rúcula, que ativam o funcionamento do fígado e da vesícula biliar e auxiliam na digestão e na eliminação de toxinas.
Coma frutas, que nutrem o organismo e dão saciedade.
Enriqueça a alimentação com alimentos termogênicos, que aceleram o metabolismo, como gengibre, canela, chá verde e pimenta vermelha.
Eleve a hidratação, consumindo pelo menos 10 copos de água por dia nos intervalos das refeições, além de consumir alimentos ricos em potássio, como banana, mamão, ameixa, melão, frutas secas, que ajudam a controlar a retenção de líquido (inchaço).
Priorize a ingestão de carnes magras, como peixes e frango sem pele, dando preferência às formas de preparo grelhada, assada e cozida.

Apesar de comum, cuidar dos filhos, da casa e trabalhar fora não é tarefa fácil. As 24 horas do dia deixam de ser suficientes e, sem perceber, o desleixo consigo mesmo acaba tomando conta.

Quando isso acontece, é preciso parar tudo, respirar fundo e conscientizar-se de que manter uma alimentação equilibrada é imprescindível para dar conta do recado.

Separamos algumas dicas de lanches para levar pro trabalho e continuar no pique! Confira:

  • Suco detox: você pode fazer em casa e levar em uma garrafinha para o trabalho. Dá sensação de bem-estar, desintoxica o fígado e é supernutritivo. Bata no liquidificador: maçã, abacaxi, limão, linhaça e uma folha de couve.
     
  • Mix de frutas desidratadas e castanhas: basta misturar o que tiver em casa de frutas desidratadas e castanhas! A porção de um pires fornece minerais, aminoácidos importantes para o funcionamento do metabolismo e do cérebro. É só colocar as porções em saquinhos individuais e carregar na bolsa para qualquer hora do dia.
     
  • Abacate com mel e limão: o abacate é uma fruta incompreendida, na qual vale a pena investir. Rico em gorduras importantes e compostos bioativos, ele contribui para saciedade, controla a compulsão alimentar, diminui a resistência à insulina e reduz a circunferência abdominal – ou seja, ajuda a perder aquela barriguinha indesejada! Olha, que beleza!
     
  • Sanduíche de pão integral com pasta nuts: pasta nuts é feita com castanhas, óleo de coco, linhaça e mel. Um lanche e tanto! É só bater no processador, até virar uma pasta:
    • 200 g de nozes
    • 200 g de amêndoas
    • 200 g de castanha-do-pará
    • 20 ml de óleo de coco
    • Semente de linhaça a gosto e mel
       
  • Sanduíche ou torradas integrais com patê de tofu: o tofu é uma ótima fonte de proteína vegetal. Além disso, contém as isoflavonas da soja, nutriente importantíssimo para qualquer mulher - principalmente as que estão na pré-menopausa, pois diminui os sintomas ruins.
    • 120 g de tofu (½ pacote)
    • 5 unidades de tomates secos (conserva em azeite de oliva)
    • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
    • Sal, orégano, temperos a gosto
    • Água morna para dar o ponto
      Cozinhe o tofu no vapor até amolecer (cerca de 5 minutos). Ainda quente, bata o tofu no liquidificador com os outros ingredientes. Coloque os temperos a seu gosto. Acrescente água morna até a consistência desejada. Guarde na geladeira. Dica: o tomate seco pode ser substituído por cenoura ou beterraba cozidas.
       
  • Bolo de banana integral de aveia: rico em fibras e delicioso, uma fatia dele nos horários dos lanchinhos intermediários ajuda a manter a saciedade por mais tempo e fornece energia, além de ser rico em fibras, vitaminas e minerais. A banana também é fonte de triptofano, um aminoácido essencial para formação de serotonina (hormônio do bem estar). Anote a receita superfácil:
    • 5 bananas nanicas maduras
    • 1 cenoura
    • ½ xícara (chá) de óleo de canola
    • 3 ovos
    • 2 xícaras (chá) de aveia
    • ½ xícara (chá) de açúcar mascavo
    • Castanhas picadas, canela e linhaça a gosto
    • 1 colher (sopa)  de fermento em pó
      Bata as cenouras as bananas, os ovos e o óleo no liquidificador. Misture numa travessa os ingredientes secos. Depois, misture a massa batida no liquidificador. Coloque no forno para assar.
       

Se não tiver tempo, mesmo...

Algumas comidinhas rápidas já vêm prontas da natureza e são uma mão na roda, tais como tomatinhos-cereja, cenourinhas e frutas no geral. O nutrólogo Abib Maldaun dá outras dicas que são facilmente encontradas em qualquer mercado:

  • Barrinha de gergelim: pode ser comprada em farmácias, mercados e lojas de produtos naturais. É rica em gorduras boas, minerais e fibras, mantém a saciedade e nutri o organismo.
  • Cookies integrais: no mercado já é possível encontrar opções de marcas de cookies integrais orgânicos e com porções para um lanche em saquinhos individuais.
  • Chocolate 50% cacau: os chocolates amargos são ricos em cacau, ótima fonte de antioxidantes (nutriente que retarda o envelhecimento), além de ajudar no controle da vontade de doces.
     

Falsos saudáveis

E existem, também, alimentos que são divulgados como amigos da saúde, mas, na verdade, não passam de grandes vilões. Costumam ser ricos em aditivos químicos, açúcares e gorduras. Em contrapartida, são pobres em nutrientes importantes para o funcionamento adequado das células. “Embutidos, inclusive o peito de peru, possuem sódio e conservantes aos montes. Portanto, não são recomendados”, alerta Paciulo, que não recomenda o consumo dos seguintes alimentos:

  • Barrinhas de cereais: segundo o nutricionista, a maioria é uma bomba de açúcar e gorduras.
  • Chocolates ao leite ou recheados: são ricos em açúcar e gorduras, além de terem pouco cacau em sua composição.
  • Biscoitos, pães e bolachas: ricos em carboidratos refinados e pobres em fibras, contribuem para o ganho de peso e a compulsão alimentar.
  • Refrigerante zero ou sucos artificiais light e diet: ricos em aditivos químicos e sódio, sobrecarregam o fígado e, ao contrário do que muita gente acredita, em nada contribuem para a manutenção de peso.

Fonte: Matéria por Karin Paciulo, Nutricionista.

-
PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

O suco de berinjela é um excelente remédio caseiro para o colesterol alto, que serve para baixar seus valores de forma natural.

A berinjela contém um alto teor de substâncias antioxidantes, especialmente na casca. Por isso, ela não deve ser retirada no preparo do suco.

Pode-se, ainda, consumir a berinjela de outras formas, seja cozida ou assada, para um maior efeito protetor sobre o fígado e, consequentemente, baixar o colesterol.
-
PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

Diante de tantas opções nos supermercados fica difícil escolher qual tipo de óleo levar para casa. A dúvida não fica somente entre os preços variados, mas sim em entender qual é a melhor opção para a sua saúde e de sua família.

Ao cozinhar um determinado óleo em alta temperatura suas estruturas moleculares mudam, promovendo uma oxidação que resulta na formação de aldeídos que, mesmo que em pequenas quantidades, estão relacionados a um risco maior de câncer e doenças do coração. Após as analises, foi descoberto que os óleos de milho e de girassol, ricos em poliinssaturados, geravam altos níveis de aldeídos.

Em contrapartida, de acordo com uma pesquisa, o azeite, óleo de canola, manteiga e a banha animal produziram muito menos aldeídos, pois são ricos em ácidos graxos monoinsaturados e saturados que não sofrem tanto com o impacto do calor e gorduras saturadas raramente passam pelo processo de oxidação.

Segundo o professor Martin Grootveld, que liderou o estudo, o melhor óleo para fritar e cozinhar é o azeite. Ele afirma que os compostos tóxicos são gerados em baixa quantidade e menos maléficos para o corpo humano. A pesquisa também sugere que manteiga ou banha animal são mais indicadas do que óleo de girassol e de milho.

Fonte: Bolsa de Mulher / Por Paulo Nobuo

-
PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br 

Na correria do dia a dia, nunca temos tempo de preparar uma refeição completa, e sempre acabamos deixando alimentos estragarem. O congelamento é muito útil, mas o processo exige cuidados. 

Ao contrário do que se pensa, os alimentos congelados têm sua qualidade e seus nutrientes garantidos pelo processamento e congelamentos corretos.

Etapas do congelamento:

  • Separe alimentos de boa qualidade e limpos;
  • Faça os procedimentos necessários para cada tipo de alimento (veja abaixo);
  • Coloque em embalagens adequadas como potes plásticos, vidro ou sacos plásticos próprios para alimentos em quantidades pequenas, ideais para o consumo de uma refeição, tentando retirar o ar se possível, com uma bombinha específica ou um canudo;
  • Identifique com uma etiqueta contendo data de fabricação e data de validade;
  • Coloque no freezer na temperatura adequada, abaixo de 18ºC;
  • Conserve os alimentos congelados numa temperatura de -18ºC por até 3 meses; Nunca re-congele os alimentos.

Congelamento de frutas:

As frutas devem ser limpas e os caroços devem ser retirados. Armazene as frutas na quantidade exata que você ou sua família consomem. Coloque uma etiqueta com os dados descritos acima e coloque na embalagem. As frutas congeladas devem ser consumidas em preparações como bolos, tortas, vitaminas, sucos entre outros.

Congelamento de hortaliças:

Para congelar hortaliças é necessário usar uma técnica chamada branqueamento, que conserva melhor as características como sabor, cor, textura, além de provocar também uma diminuição na atividade enzimática e na proliferação de bactérias.

O branqueamento se refere à lavagem correta das hortaliças, onde devem ser retiradas as partes estragadas. Em seguida, deve-se submergir o alimento em água fervente e rapidamente colocá-lo em água fria, para que ocorra o choque térmico e pare o cozimento.

Siga os passos abaixo:

  1. Branquear (escaldar) os vegetais em 2,5 litros de água, mergulhando cerca de 300g cada vez, com o auxílio de uma peneira. Os vegetais deverão ficar imersos na água fervente pelo tempo indicado na tabela. A mesma água pode ser usada para até 8 porções do mesmo tipo de vegetal, aguardando-se levantar fervura antes de mergulhar nova porção (para vegetais diferentes é necessário trocar a água).
  2. Resfriar os vegetais no mesmo espaço de tempo em que foram escaldados, também com o auxílio da peneira. Passar primeiramente os vegetais em água fria corrente e em seguida mergulhá-los em água com gelo.
  3. Secar bem, embalar e etiquetar.

Congelamento de carnes:

As carnes, bem como aves e peixes, devem ser limpas e as partes não comestíveis (como a gordura excedente) devem ser retiradas. Esses alimentos devem ser armazenados na quantidade em que serão consumidos.

Congelamento de alimentos pré-preparados:

Prepare os alimentos com pouco tempero e não exceda o tempo no fogo, já que os alimentos serão aquecidos novamente.

Após o preparo dos alimentos, coloque-os em embalagens adequadas, na quantidade a ser consumida em uma refeição, em seguida coloque a embalagem do alimento pronto em cima de um recipiente com água fria e gelo. Depois, coloque o alimento no refrigerador e após o resfriamento, coloque no freezer.

Temperos:

  • Alho – descascar e colocar os dentes num pote rígido, cobertos com óleo; retirá-los conforme a necessidade, com o auxílio de uma colher.
  • Cebola – picada ou cortada em rodelas: proceder como no caso do alho; inteira: tirar a pele e colocar quantas quiser num saco plástico, extraindo o ar; ralar a cebola ainda congelada e guardar as restantes sem esquecer de extrair o ar.
  • Salsinha e demais temperos verdes deve ser lavados, secos e guardados num recipiente plástico com tampa, compactando bem; retirar cada porção necessária raspando com uma colher; preencher com um plastico ou papel alumínio o espaço entre o tempero e a tampa antes de guardar a quantidade não utilizada. Obs.: Tempo de conservação do Alho, Cebola e Salsinha é de 6 meses.

Alimentos que não devem ser congelados:

Ovo com casca, maionese, chantilly, iogurte, folhas (alface e etc), pudins em geral, batata, pepino, salsão, creme de leite, queijos cremosos, cremes engrossados com maisena e etc…

Descongelamento:

Os alimentos devem ser descongelados sempre colocando o alimento no refrigerador, em forno de microondas ou em temperatura ambiente por no máximo 4 horas, sempre com a embalagem adequada.

Fonte: Site Receitas de Minuto / Por: Gisele Souza

-
PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

Criar bons hábitos alimentares é importante para a criança crescer com saúde, prevenindo diversas doenças futuras. Vamos conferir algumas dicas para ajudar o seu filho!

1. As refeições e os lanches devem ser servidos em horários fixos diariamente, com intervalos suficientes para que a criança sinta fome na próxima refeição.
Um grande erro das mamães é oferecer alimentos fora de hora ou deixar a criança alimentar- se sempre que deseja, pois assim não terá apetite no momento das refeições.  O ideal é um intervalo entre uma refeição e outra de 2 a 3 horas.

2. O tamanho das porções dos alimentos nos pratos deve estar de acordo com o grau de aceitação da criança.
É muito frequente a mãe, por preocupação, servir uma quantidade de alimento maior do que o filho consegue ingerir. O ideal é oferecer uma pequena quantidade de alimento e perguntar se a criança deseja mais.

3. Quando houver doce de sobremesa, oferecê-lo como mais uma preparação da refeição, evitando utilizá-lo como recompensa ao consumo dos demais alimentos.

4. Oferecer líquidos nos horários das refeições deve ser controlada, porque o suco, a água e, principalmente, o refrigerante distendem o estômago, podendo dar o estímulo de saciedade precocemente. O ideal é oferecer água à vontade nos intervalos das refeições para que a criança não sinta necessidade de ingerir líquidos na hora de comer.
Os sucos naturais podem ser oferecidos eventualmente, na quantidade máxima de 150 ml/dia, devendo-se estimular o consumo de frutas como sobremesa.  Os refrigerantes não precisam ser proibidos, mas devem ser evitados.

5. Salgadinhos, balas e doces devem ser evitados. No entanto uma atitude radical de proibição pode levar a um maior interesse da criança pelas guloseimas; faz-se necessário que os pais expliquem o que o consumo inadequado pode trazer de prejuízo, bem como os pais devem ter hábitos saudáveis para o desenvolvimento de uma aprendizagem por imitação.

6. Deve ser esclarecido que esses doces e salgadinhos podem ser consumidos em horários adequados e em quantidades suficientes para não atrapalhar o apetite da próxima refeição, bem como não trazer prejuízos a dentição.

7. A criança deve ser confortavelmente acomodada à mesa com os outros membros da família.  A aceitação dos alimentos se dá não só pela repetição à exposição, mas também pelo condicionamento social, e a família é o modelo para o desenvolvimento de preferências e hábitos alimentares. Portanto, é importante que desde o primeiro ano de vida, na introdução dos alimentos complementares, a criança observe outras pessoas se alimentando.

O ambiente na hora da refeição deve ser calmo, sem a televisão ligada ou quaisquer outras distrações, como brincadeiras e jogos. É importante deixar a crinçar comer com as mãos e não cobrar limpeza no momento da refeição. Quando souber manipular adequadamente a colher, pode se substituí-la pelo garfo.

8. Envolver a criança nas tarefas que incluam as compras e a preparação das refeições, como participar da escolha do alimento, da sua compra no mercado ou feira e da elaboração dos pratos que não apresentem riscos de acidentes ao manuseio.

É importante acompanhar o desenvolvimento da criança e considerar sua alimentação como fator essencial. 

Fonte: Site Crianca Bem Nutrida
Por

-

Confira nossa lista de credenciados pelo PLAMHUV: PediatrasNutricionistas.

-
PLAMHUV - Saúde é o mais importante.
(31) 3891-1800 - www.plamhuv.com.br

 

Veja quais nutrientes combatem células doentes e aumentam a imunidade.

Para muitas pessoas, ter ou não um câncer é uma questão de destino. Será? Um estudo publicado na edição de dezembro de 2011 do British Journal of Cancer apontou que 45% dos casos de câncer em homens e 40% dos casos de câncer em mulheres poderiam ser evitados com a adoção de hábitos de vida saudáveis. Dentre esses hábitos, um que se destaca é a alimentação. De acordo com a nutricionista Priscila Cheung, do Centro Paulista de Oncologia (CPO), uma dieta equilibrada previne não só o desenvolvimento de um câncer, mas de outras inúmeras enfermidades. "Alguns alimentos, entretanto, apresentam destaque quando o assunto é combater a multiplicação de células doentes", afirma. Confira quais são eles:

Frutas vermelhas

Frutas vermelhas, como a framboesa e a amora, são ricas em antocianinas, fitonutrientes que retardam o crescimento de células pré-malignas e evitam a formação de novos vasos sanguíneos que poderiam estimular o crescimento de um tumor. Um estudo publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry mostrou que o consumo desses alimentos reduzir o risco de desenvolver câncer de boca, câncer de mama, câncer de cólon e câncer de próstata.

Brócolis

Um estudo publicado na revista Molecular Nutrition & Food Research já comprovou a atuação dos brócolis na prevenção do câncer. "Graças a diversos compostos, como o fitoquímico sulforafano, eles têm a capacidade de destruir células cancerígenas e deixar as demais intactas", explica a nutróloga Tarama Mazaracki, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Na pesquisa, homens com câncer de próstata que consumiram o vegetal apresentaram inibição de determinada enzima que também é alvo de medicamentos para tratamento da doença. Resultados similares também puderam ser vistos em mulheres com câncer de mama, em estudo divulgado na reunião anual da American Association for Cancer Research.

Chá verde

Queridinho de quem está de dieta, o chá verde não ganha destaque somente por acelerar o metabolismo e evitar a formação de coágulos nas artérias. "A bebida também é rica em antioxidantes, que atuam na prevenção do câncer", explica o nutrólogo Roberto Navarro, da ABRAN. Isso é o que mostra um estudo divulgado pela Cancer Prevention Research que acompanhou a progressão do câncer de próstata em homens que passaram a tomar cápsulas de uma substância encontrada no chá. Outra pesquisa, da Chun Shan Medical University, em Taiwan, ainda destacou importante atuação do chá verde contra o câncer de pulmão. Segundo ela, uma única xícara por dia reduz em 13 vezes o risco de fumantes desenvolverem a doença.

Alho e cebola

"Alho e cebola pertencem a um mesmo gênero de alimentos que são fonte de determinado fitoquímico envolvido na capacidade de excreção de compostos carcinogênicos", aponta a nutricionista Priscila. Em outras palavras, esses alimentos auxiliam na eliminação de toxinas que favorecem o desenvolvimento de doenças degenerativas, como o câncer. Um estudo publicado no International Journal of Cancer aponta para redução do risco de câncer de intestino, enquanto que uma pesquisa divulgada pelo Epidemiology Biomarkers & Prevention relacionou o consumo dos alimentos a menor probabilidade de câncer de pâncreas.

Tomate

Muitas pessoas associam o tomate à prevenção do câncer de próstata. Não é à toa: o alimento é fonte de licopeno, carotenoide que confere alto grau de proteção contra a oxidação celular, explica a nutricionista Priscila. Segundo ela, é preferível comer o tomate após o aquecimento e acompanhado de uma gordura, como o azeite, para facilitar a absorção da substância pelo organismo. Molho de tomate, portanto, é a melhor escolha para obter o nutriente. Tais benefícios foram comprovados por inúmeros estudos. Entre eles, um publicado no British Journal of Nutrition e conduzido por especialistas da University of Portsmouth, no Reino Unido.

Cenoura

"A cenoura contém uma substância chamada carotenoide, atuante no combate a radicais livres que, quando em excesso, levam a mutações celulares capazes de originar um câncer", explica o nutrólogo Roberto. Tal ação se mostra eficaz principalmente na prevenção do câncer de mama, como mostra um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute que acompanhou mais de 6 mil mulheres. Acerola, abóbora e manga são outras boas fontes desse nutriente.

Uva

Fonte de polifenois, a casca e a semente da uva são outros bons aliados no combate aos efeitos dos radicais livres, aponta a nutróloga Tamara. Para prevenção do câncer, entretanto, não é recomendado obter o nutriente bebendo vinho, pois o álcool pode anular os efeitos anticancerígenos do alimento. Um estudo publicado no Cancer Prevention Research descobriu que o resveratrol aumenta a produção de uma enzima que destrói compostos orgânicos de estrogênio perigosos. Como esse tipo de câncer é hormono-dependente, o controle dos níveis de estrogênio é fundamental para impedir sua evolução.

Mais lidas

Filtro por data

« Janeiro 2018 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31